Bem-estar

17/09/2019 08h00

Quando a cura vem a cavalo

A equoterapia é uma bela forma de tratamento e autoconhecimento que traz diversos benefícios para o ser humano.

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
Design sem nome(1)

Quando a cura vem a cavalo

Quando um participante chega para uma sessão de equoterapia, ele vem ao encontro de seus mais novos amigos: os terapeutas e o cavalo. A partir daí, tem início um ritual de aproximação, marcado pelo toque de carinho e cumplicidade. Um verdadeiro processo de cooperação mútua,  cujos resultados são os mais benéficos possíveis para quem deseja superar suas próprias dificuldades. E desta interação completa entre o homem, cavalo e terapeutas , surgem efeitos capazes de sanar a mente e o físico humano.

Este é o princípio básico da EQUOTERAPIA, um tratamento complementar de recuperação e reeducação motora e mental, com o uso do cavalo como auxiliar terapêutico.

UMA DEFINIÇÃO

A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem transdisciplinar, nas áreas da saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial e espiritual, principalmente das pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais, que é o grupo que tradicionalmente mais busca este tipo de trabalho.

A atividade emprega o cavalo como agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais. Neste processo, exige a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força, tônus muscular, flexibilidade, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio. Como se o praticante e o cavalo “se tornassem” um só. Desta forma podemos afirmar que a Equoterapia pode ser um excelente recurso terapêutico para todas as pessoas.

POR QUE O CAVALO?

O cavalo é utilizado como recurso terapêutico, ou seja, como instrumento de trabalho por causa de seu movimento rítmico, preciso e tridimensional, que ao caminhar para frente/trás, para os lados e para cima/baixo, pode ser comparado com a ação da pelve humana no andar, permitindo a todo instante entradas sensoriais em forma de propriocepção profunda, estimulações vestibular, olfativa, visual e auditiva.

Em um minuto, o cavalo consegue dar de 48 a 60 passos que equivale a 784 oscilações. Em meia hora (duração da prática), o cavalo consegue dar 23.520 oscilações que servem como estímulos psicomotores para o praticante.

Além disso, a interação com o cavalo desde os primeiros contatos, o ato de montar e o manuseio final, desenvolve o potencial latente de cada um de realizar novas formas de socialização, autoconfiança e autoestima.

COMO FUNCIONA O ATENDIMENTO?

A Equoterapia não é apenas uma pessoa andando a cavalo sozinha. Participam do atendimento: Auxiliar Guia, Auxiliar Lateral e Terapeuta. O Auxiliar Guia conduz o cavalo e preocupa-se com a interação do cavalo com o ambiente. O Auxiliar Lateral fica ao lado do cavalo auxiliando o terapeuta e ajudando na segurança do praticante. O terapeuta é quem conduz o atendimento. Numa equipe integrada e madura esses papéis podem ser móveis. Por exemplo, o lateral pode atuar como terapeuta e vice-versa.

O início de uma sessão de Equoterapia se dá com o contato com o cavalo, antes de montar; e somente após a adaptação o praticante inicia a montaria em si. O terapeuta acompanha o praticante desde o início até o final da sessão. Os atendimentos não podem ser realizados com somente um profissional responsável, sendo necessária uma equipe, que deve constar de três elementos básicos: um fisioterapeuta, um psicólogo e um instrutor de equitação.

O Cavalo é um dos membros principais da equipe. Este, como toda ela tem que ser especial para a equoterapia, e é extremamente treinado para interagir com os praticantes e suas reações; com a equipe e seu material pedagógico (bolas, letras de borracha etc).

OBJETIVO

Baseado na afetividade do praticante pelo animal - que promove, principalmente nas crianças, o interesse pela reabilitação - e nos movimentos realizados pelo cavalo - que auxilia no tratamento fisioterápico, a EQUOTERAPIA possui como objetivo principal o benefício físico e psíquico de portadores de dificuldades sensoriais (audiovisuais), distúrbios evolutivos e/ou comportamentais, patologias ortopédicas (congênitas ou acidentais) e deficiências causadas por lesões neuromotoras (cerebral ou medular).

Além disso, a  equoterapia é capaz de diminuir a agressividade, tornar o paciente mais sociável, melhorar sua autoestima e autoconfiança, diminuir antipatias, construir amizades e treinar padrões de comportamento como: ajudar e ser ajudado, encaixar as exigências do próprio indivíduo com as necessidades do grupo, aceitar as próprias limitações e as limitações do outro.

O mais importante na equoterapia é a autorealização do praticante, pois é o seu maior trampolim para todos os objetivos alcançados. O que se procura fazer é que o praticante não se sinta como um deficiente, mas sim, como uma pessoa com algum problema de deficiência, onde seu todo tem condições de realizar muitas coisas.

A equoterapia é indicada para:

• Problemas Posturais;

• Doenças do crescimento;

• Má formação da coluna;

• Acidentes com sequela de fraturas;

• Amputações;

• Artrite Reumatóide;

• Artroses;

• Poliomielite;

• Encefalopatia Crônica da Infânica;

• Doença de Parkinson;

• Acidente Vascular Cerebral;

• Multiesclerose;

• Lesões medulares;

• Cardiopatias;

• Doentes respiratórios;

• Distúrbios Mentais;

• Distúrbios Comportamentais / Sociais - formas psiquiátricas de psicoses infantis e estados marginais, autismo, esquizofrenia, distúrbio da atenção, hiperatividade;

• Distúrbios Sensoriais - deficiência visual, deficiência auditiva;

• Alterações de Escrita - disgrafia, disortografia, dislexia, distúrbio da percepção;

• de Linguagem Oral - alterações de fala, atraso de linguagem;

• de Motricidade Oral; de Voz;

• Emocional - insônia, ansiedade, stress;

• Atraso Maturativo - do desenvolvimento psicomotor, instabilidades psicomotoras;

• Sequelas de queimaduras.

• Doenças sanguíneas e metabólicas.

 

Colaboração de: Rodrigo G. Thomasi Psicólogo-  Mestre em Psicologia Transpessoal e Equoterapeuta, Lucia Kliemann - Instrutora de Equitação e Equoterapeuta e Jeane Flores da Silva -  Fisioterapeuta.

 

X