Família

10/11/2018 17h56

Aprendizagem Cooperativa

Entenda melhor o que é e porque é importante investir nela

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
Avaliacao aprendizagem

A aprendizagem cooperativa ou colaborativa é uma metodologia escolar que consiste na troca de conhecimento entre professores e alunos.

A aprendizagem cooperativa ou colaborativa é uma metodologia escolar que consiste na troca de conhecimento entre professores e alunos, estimulando a participação e o interesse dos educandos. O ensino acontece em grupo e os participantes devem discutir entre si e trabalhar em conjunto para alcançar um objetivo comum.

A técnica é positiva em inúmeros aspectos, e também pode ser aplicada fora do ambiente estudantil, como em relações de trabalho, para hobbies ou voluntariado. Um grupo que se reúne para procurar soluções para um problema da comunidade e utiliza um pouco do conhecimento de cada membro para isso pode ser um exemplo de aprendizagem cooperativa.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

 

O que é a cooperação?

A cooperação é definida como atuar, unido a outros, para um mesmo fim. Sendo assim, indivíduos ou organizações podem atuar em conjunto, buscando a resolução de problemas, o bem-estar coletivo, o aprendizado, entre outros objetivos.

O ato de cooperar é importante em diversas situações. No reino animal, por exemplo, isso é fundamental para a sobrevivência de algumas espécies. As formigas são um exemplo clássico: a divisão de tarefas e a cooperação são essenciais para o transporte e o armazenamento de alimentos, além da manutenção e a defesa da comunidade. Já os peixes se reúnem em cardume para defender o grupo dos predadores.

A vida em sociedade exige uma boa dose de cooperação. Vivemos em um mundo interdependente, e cada membro deve atuar com seus conhecimentos e habilidades para garantir a sobrevivência e o bem-estar coletivo.

Isso também pode ser percebido no segmento econômico, de construção, agricultura, entre outras esferas, em que as organizações se unem para alcançar um objetivo comum. Nesses casos, a cooperação aumenta a capacidade competitiva e beneficia todos os envolvidos no processo.

Contudo, sabemos que, muitas vezes, isso não acontece, não é mesmo? As pessoas tendem a colocar os interesses individuais acima do coletivo. Em situações de engarrafamento ou de falta de combustível, por exemplo, o comportamento individualista prevalece, aumentando o conflito e prejudicando a maior parte da sociedade.

Comportamentos egoístas, preconceituosos e outras atitudes que fortaleçam a desigualdade e a exclusão precisam ser combatidos para que a sociedade alcance a evolução. Dessa forma, incentivar a cooperação ainda na infância pode ser uma estratégia para evitar essa situação na vida adulta.

 

As vantagens da aprendizagem cooperativa no ambiente estudantil

Esse método já vem sendo aplicado em algumas escolas e disciplinas, mas muitas instituições ainda encontram dificuldades para romper o formato de ensino tradicional.

Uma das principais diferenças é quanto ao aprendizado em grupo e o cooperativo. No primeiro caso, o estudo é feito em equipe, mas as tarefas e os objetivos são individuais — cada aluno trabalha pela sua nota. Já o ato de cooperar consiste em todos trabalharem juntos com a divisão de materiais e recursos para alcançar um objetivo comum.

No ambiente estudantil, esse processo é positivo, pois permite o desenvolvimento de habilidades comportamentais que serão importantes para a formação e para a vida pessoal e profissional de crianças e adolescentes. Entre elas, estão:

           

  • Comunicação clara e objetiva;                    
  • Habilidade de encontrar soluções para problemas;
  • Responsabilidade individual e coletiva;       
  • Trabalho em equipe;
  • Confiança nos outros;
  • Habilidade para lidar com imprevistos.        

 

Um dos pontos importantes da aprendizagem cooperativa é o fortalecimento da responsabilidade individual, pois a realização do projeto e o sucesso do grupo dependerá da atuação de cada integrante.

A comunicação também é uma habilidade significativa, já que os integrantes do grupo precisarão dialogar para chegar ao objetivo final, o que, muitas vezes, não será um consenso para todos. A cooperação pode envolver conflitos de interesse, e, nesse sentido, a aprendizagem cooperativa é positiva para fortalecer a exposição de ideia, a argumentação, a negociação e o estabelecimento de regras para a solução de conflitos.

Algumas pessoas acreditam que essa metodologia não é benéfica para o ambiente estudantil, e que o ideal seria estimular a competição. Entretanto, essa forma de ensino pode aumentar os conflitos, gerando discussão e agressividade - em vez de incentivar o aprendizado.

A aprendizagem cooperativa ainda contribui para o desenvolvimento de habilidades e valores em crianças e adolescentes, como a confiança, o estímulo a convivência, entre outras. Algumas instituições, inclusive, incentivam as brincadeiras cooperativas no lugar de jogos de disputas, dessa forma, o objetivo final não é derrotar o outro, mas, sim, atuar em conjunto para superar o desafio.

Essa prática também é significativa para favorecer a inclusão e o respeito às diferenças, já que em determinados jogos de disputa, alguns participantes podem ser deixados de lado devido às suas características físicas, por exemplo. Por outro lado, nos jogos cooperativos, isso tende a não acontecer, já que cada membro do grupo contribui com as habilidades e conhecimentos que possui.

Outro aspecto positivo é que essa metodologia aumenta o interesse dos alunos pelos temas abordados, tornando o ambiente estudantil mais dinâmico e incentivando que eles se aprofundem no assunto, inclusive fora da escola.

 

Como incentivar a aprendizagem cooperativa no dia a dia?

Além de contar com a aprendizagem cooperativa dentro da sala de aula, é possível utilizar esse método em outras situações do dia a dia, tais como ambientes virtuais de ensino, redes sociais, formação de grupos de estudo, entre outras.

Com as novas tecnologias, o processo de aprendizado se torna mais amplo, e isso também pode incentivar a cooperação. Os ambientes virtuais de ensino são um exemplo disso, em que professores e alunos podem trocar conhecimentos por chats, fóruns, aplicativos de mensagens, videoconferência, editores de texto em conjunto, entre outras ferramentas.

Há sites e grupos voltados para estudantes que armazenam conteúdos dos mais variados assuntos, a partir dos quais os alunos podem acessar textos, compartilhar e trocar informações com pessoas de outras escolas e regiões e aprofundar o conhecimento. Isso pode ser benéfico, por exemplo, para alunos de uma pequena cidade do interior que não tenham acesso a todos os conteúdos necessários para seu aprendizado.

As redes sociais também se tornaram um espaço para troca de conteúdo e, em alguns casos, funcionam como um canal para cooperação. Há diversos grupos de culinária, para estudo de inglês e outros idiomas, técnicas de desenho, alimentação saudável, finanças, entre outros assuntos, voltados para quem deseja trocar conhecimento e aprimorar habilidades. Embora o resultado final seja individual, há a participação de vários membros do grupo para isso.

Outro exemplo de aprendizagem cooperativa virtual é a Wikipédia, uma plataforma para a qual milhares de pessoas ao redor de todo o mundo contribuem, realizando a manutenção de uma enciclopédia coletiva.

Além disso, a aprendizagem cooperativa ou colaborativa pode ser aplicada presencialmente, como acontece em ONGs e instituições que atuam em comunidades carentes para incentivar o desenvolvimento daquele grupo, criando ações para fortalecer o aprendizado de crianças, jovens, adultos e idosos em variados segmentos, tais com reforço escolar, informática, culinária, artesanato, cursos profissionalizantes, entre outros temas.

A cooperação é um comportamento significativo que pode contribuir para o desenvolvimento individual e coletivo, e para a melhoria da vida em sociedade - por isso, ela deve ser incentivada.

Como vimos, a aprendizagem cooperativa é bastante positiva. Ela pode ser aplicada no ambiente estudantil infantil, por meio de jogos e brincadeiras, e entre adolescentes e adultos, contribuindo para desenvolver habilidades e valores importantes para a vida em sociedade.

Gostou do conteúdo? Qual sua opinião sobre o assunto? Escreva para gente!

X